Arqvs. por Categoria: notas

Ao retornar, busquei Pessoa.

Eu adoro todas as coisas
E o meu coração é um albergue aberto toda a noite.
Tenho pela vida um interesse ávido
Que busca compreendê-la sentindo-a muito.
Amo tudo, animo tudo, empresto humanidade a tudo,
Aos homens e às pedras, às almas e às máquinas,
Para aumentar com isso a minha … Read More

Coração e mente alinhados

 “”…a razão manda a gente ficar em casa. O sonho faz a gente caminhar…..a gente tem que sonhar, e tem que sonhar grande!!! ” Essa é do Ariano Suassuna. Peguei num texto da amiga Marlene Bergamo.
Mas no atual momento da minha vida esta frase me … Read More

“Brassaï, Paris La Nuit” chega a Belo Horizonte!!!

  Como disse antes, eu passaria a comentar e escrever mais focado em iphonegraphya. No entanto ao abrir minha caixa postal, me deparo com uma nota anunciando a exposição de Brassaï em Belo Horizonte. Esta exposição já rodou por outros espaços no Brasil, mas é … Read More

Opa….retornando em 2012!!

Hoje eu escrevo apenas sobre a experiência de ter criado este Blog. Depois de um longo e positivo ano, não tirei férias, apenas reduzi as atividades ao essencial.
Devagar o ano vai começando e novamente vou “acoplando” atividades ao dia-a-dia. E uma das mais gratificantes, é … Read More

OLD, uma jovem revista sobre fotografia.

Realmente a fotografia está em um momento fantástico no Brasil.
Muita coisa boa acontecendo, festivais se fortalecendo e se profissionalizando, o Festival de Tiradentes, por exemplo, já tem data marcada para 2012,  entre 14 e 18 de março.
Bons livros estão sendo editados, e o surgimento de … Read More

Um discreto fotógrafo brasileiro na Berliner Liste

Ernst Gombrich, famoso historiador de arte, afirmou, certa vez que, nada existe realmente a que se possa dar o nome de Arte. Existem somente artistas.
E é assim que vejo  Max GPinto, um artista discreto, que deixa sua obra falar por si. Faz pouco alarde sobre … Read More

Bicicleta também é POESIA

Oda a la Bicicleta, Pablo Neruda

Oda a la bicicleta
Iba
por el camino
crepitante:
el sol se desgranaba
como maíz ardiendo
y era
la tierra
calurosa
un infinito círculo
con cielo arriba
azul, deshabitado.Pasaron
junto … Read More